O parto: uma mistura de emoções

O parto representa um grande momento na nossa vida e esperávamos que corra tudo bem para o nosso bebe e para nós.

A minha filha não queria mesmo sair. Nasceu às 41 semanas e alguns dias. Fazia desporto no @centropreeposparto e andei imenso principalmente no final para ver se ativava a saída. Depois decidi fazer o contrário por isso fiquei quietinha mas nada. Queria mesmo que o parto fosse natural por isso não queria mesmo induzir. Ela tinha que sair!

Programamos então o dia para induzir. Tínhamos de estar no hospital às 8h30. Pensava que desta forma, ia estressar muito e não dormir à noite. E pelo o contrário, até estava entusiasmada e nada estressada. Até foi bom ser assim.

Toda a manhã tivemos à espera, e nada. Nada de contrações. Vimos séries com o meu marido e passamos o tempo. Tomei outro comprimido à tarde e nada. Romper-me as águas pelas 16h30 e a partir daí as dores foram fortes. Levei epidural. Mesmo assim, ela ainda estava muito alta e tive de fazer muita força. Pareceu-me uma eternidade. No final, a epidural já não fazia efeito.

A minha filha nasceu às 20h04 mas não chorou por isso tiveram de a levar logo. O meu marido foi ter com ela. Quando ouvi-a chorar, foi um alívio. Depois puseram-na em cima de mim. Tenho a sensação de não ter aproveitado esse momento ao máximo. Estávamos a cozer e estava a sentir todas as dores. Foi horrível essa parte.

O melhor momento foi na sala de recobro, a iniciar a amamentação e o nosso encontro. Foi muito sereno, muitas emoções vieram neste momento. Descobri a minha filha! Passamos a noite em branco a olhar para ela. Estávamos tão excitados que nem tínhamos sono. O que foi muito má ideia porque na primeira noite dormiu, nas outras não foi tão fácil.



0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo